A pesquisa sobre a necessidade de partir: ”O DNA revela os verdadeiros viajantes”

Há pessoas que não sentem a necessidade de fazer as malas e deixar para trás suas casas, suas rotinas, seus confortos. Elas não querem viajar pois estão satisfeitas com as cidades em que vivem, seus hábitos. Outras, no entanto, não podem ficar paradas nem por um momento, elas estão sempre prontas para ir para um novo destino.

A necessidade de explorar, de acordo com pesquisa publicada na revista “Evolution and Human Behaviour”, dependeria do chamado “gene da viagem”: o receptor de dopamina D4 (DRD4 7R).

A revelar se somos ou não verdadeiros viajantes è, portanto, o nosso DNA.
O “gene da viagem” define o nível de curiosidade e nos torna mais suscetível a estímulos externos. Sua função está ligada à da dopamina, que desempenha uma ação fundamental para determinar os equilíbrios de humor.
O entusiasmo e a emoção que experimentamos antes de embarcar em uma viagem ou esplorando destinos desconhecidos poderia ser apenas uma “mágica” realizada por este gene.

Nem todos, no entanto, sentem a necessidade de viajar. Apenas 20% da população tem níveis elevados de DRD4 7R em sua composição genética. A maioria desses viajantes “por natureza” estão localizados em áreas do mundo onde, historicamente, os nomadismos sempre foram incentivados. De acordo com o estudioso Chaunsheng Chen “é mais fácil que o gene está nas pessoas que migraram e que viajaram longas distâncias centenas de anos atrás.”

O site Elite Daily, por sua vez, relata outro estudo, conduzido por David Dobbs da National Geographic que iria apoiar estas teorias: de acordo com o pesquisador, “o DRD4 resulta em pessoas que estão mais dispostos a assumir riscos, a explorar novos lugares, tentando novos alimentos, novas relações, novas aventuras sexuais “. Comparando os genes de povos mais sedentários a aqueles de populações “migratórias” Dobbs tem notado que o gene deste tipo aumentou em populações cujos antepassados ​​tinham viajado longas distâncias, a partir da lontana África.

Redação L’Huffington Post

Share This